sábado, 30 de maio de 2009

Museu do Negro

A Ana Luiza precisou coletar material sobre os negros para uma pesquisa da escola. Entre acessos à internet, idas em livrarias, resolvi levá-la ao Museu do Negro no Rio de Janeiro para que a pesquisa se tornasse mais interessante, mais prática, mais visual.
Chegando lá fiquei muito triste com o estado de descuido que o museu se encontra. Ninguém para acompanhar na visita e explicar a razão pela qual o Museu está instalado na Igreja de Nossa Senhora do Rosário, paredes com infiltração e o pior de tudo foi ver a descrição de objetos com erros de ortografia e concordância.
O acervo conta com alguns objetos interessantes como uma maquete da sepultura da Princesa Isabel e o Conde D'Eu e apesar dos problemas citados a Ana Luiza e sua amiga obtiveram algumas informações para o trabalho e gostaram do passeio. Mas o que elas acharam mais interessante mesmo foi conhecer o camelódromo, pode? Também com o Museu nesse estado ....


terça-feira, 26 de maio de 2009

Fadas do Arco-Íris

Nesse final de semana, entre idas ao shopping e teatrinhos, a Sofia quis que eu desenhasse fadas para ela colorir. Muitas fadas, grandes e pequenas. Um dos desenhos me lembrou de uma história que fiz para a Ana Luiza quando estava com 7 anos. Ela tinha que fazer uma criatividade para a escola e me pediu ajuda. A Ana Luiza me disse que queria fazer sobre cores. Achei superlegal, falei que era muito criativo, que eu jamais pensaria em fazer sobre cores, etc ... Na intenção de dar aquele apoio completei dizendo que o mais difícil ela já tinha feito que era escolher o tema que agora desenvolver seria fácil. Bom, deixei a bola quicando e ela chutou é claro. Me disse, já que é fácil então faz uma criatividade sobre cores. Fui desafiada e sem tempo para pensar. Só me restou inventar uma história.



Íris


Íris é uma menina que gosta muito de cores. Ela adora colorir tudo o que vê pela frente. As suas roupas são sempre com muitas cores. Íris gosta de vestir saia vermelha com blusa verde. E os sapatos? Íris acha que deve ser um de cada cor e as meias também. Então ela costuma calçar no pé direito o sapato azul com a meia amarela e no pé esquerdo o sapato amarelo com a meia azul. Não adianta a sua mãe dizer que não combina, que está muito colorido. Se não for assim Íris acha sem graça.
Na casa da menina tem um jardim enorme e muito colorido. Sempre que vê uma flor com uma cor diferente Íris pede para sua mãe comprar e plantar em seu jardim.
O jardim é o lugar preferido de Íris. Diverte-se muito brincando entre as flores. Bem no canto direito do jardim tem um arbusto enorme repleto de flores. São muitas flores nesse arbusto. Íris não se conforma porque todas as flores desse arbusto são brancas. Não seria lindo se cada flor dessa árvore fosse de uma cor diferente? Imagina Íris. Nesse mesmo arbusto moram sete fadas. Esse é um segredo que só Íris conhece. As fadas não aparecem para mais ninguém, somente para Íris. Isso porque as fadas são todas brancas e elas gostariam de ter cor. Todas as outras fadas do mundo são coloridas. As sete irmãs fadinhas são as únicas que são branquinhas.
Íris que gosta de tudo muito colorido já tentou várias vezes ajudar as amigas fadas. Uma vez Íris ganhou de presente uma aquarela. Então resolveu pintar as fadas de cor de rosa. Elas ficaram lindas e todas felizes, batendo as asinhas sem parar. Ficaram tão animadas que resolveram sair do arbusto e dar uma volta pelo jardim de Íris. Enquanto as fadinhas voavam entre as flores, Íris corria, dançava e cantava. Estavam todas tão felizes que nem perceberam uma nuvem que vinha chegando lá no céu. De repente, a chuva caiu. E para a tristeza de todas a tinta rosa foi escorrendo e as fadinhas voltaram a ser branquinhas. Mas Íris não desistiu. Um dia ela ainda há de conseguir colorir as suas amigas.
Passou-se algum tempo... Íris ganhou quatro potes de tinta. Claro que amou o presente. Ficou logo imaginando quanta coisa iria pintar.
Em um dia nublado Íris estava sem ter o que fazer. Ela detesta dias nublados porque fica tudo muito cinza. Foi aí que resolveu fazer o que mais gosta: PINTAR, COLORIR, PINTAR. Pegou uma folha de papel bem grande e foi para o seu jardim. Derramou um pouquinho de tinta vermelha e em seguida derramou um pouquinho de tinta amarela. As duas manchas de tinta foram se espalhando até se encontrarem e ao se misturarem formaram uma cor laranja. Íris ficou surpresa, pois tinha aprendido a fazer cores! Que felicidade! Sua pintura já estava com três cores: vermelho, laranja e amarelo. Íris muito curiosa, resolveu continuar. Perto do amarelo ela derramou um pouco da tinta azul clara. A cor azul se espalhou até encontrar o amarelo e formou uma cor verde. Que legal! Íris já tinha cinco cores: vermelho, laranja, amarelo, verde e azul. Olhou e ainda restava um potinho com tinta azul escuro. Então colocou um pouquinho ao lado do azul claro. A tinta ficou ali paradinha. A sua pintura já estava com 6 cores. Mas dessa vez nada aconteceu, não surgiu uma cor nova. Foi aí que Íris resolveu começar de novo e pingou um pouquinho da tinta vermelha bem na pontinha da tinha azul escuro. As duas cores se misturaram e formaram uma cor violeta muito linda. A pintura de Íris ficou bem bonita com as sete cores:
vermelho, laranja, amarelo, verde, azul, azul escuro e violeta. Íris pensou nas sete cores e nas sete fadinhas. Seria tão bom se ela conseguisse ajudar as amigas...
As nuvens quando viram a pintura de Íris ficaram tão felizes que chamaram o sol para vê-la. O sol achou a pintura tão linda que começou a brilhar de alegria. Com a alegria do sol as nuvens começaram a abrir caminho para os seus raios. Os raios do sol alcançaram a pintura de Íris. Nesse momento, a partir de cada cor se formou um arco subindo em direção ao céu. Que coisa mais linda! Íris estava muito contente. Ela nunca tinha vista algo assim na natureza.
As fadinhas que observavam de dentro do arbusto, vendo aquele arco tão cheio de cores resolveram sair voando para vê-lo bem de pertinho. Assim cada fadinha passou por uma cor. Ao atravessarem o Arco da Íris elas já não eram mais brancas. A Ana ficou violeta, a Biana ficou azul escura, a Ciana ficou azul clara, a Diana ficou verde, a Fiana ficou amarela, a Giana ficou laranja e finalmente a Liana ficou vermelha.
Todas ficaram muito felizes, pois finalmente, Íris tinha conseguido ajudar as amigas fadas. E ainda mais, tinha descoberto um modo de fazer os dias nublados e chuvosos mais alegres e bonitos. Era só colocar a sua pintura e quando o sol começasse a aparecer seu arco se formaria.
Foi aí então que Íris pensou nas outras crianças que também não gostam muito de dias cinza. Como ela poderia levar seu arco a todas essas crianças? Assim os dias delas também ficariam mais alegres e coloridos. As fadinhas resolveram retribuir a ajuda recebida. Afinal, Íris as tinha ajudado tanto! Elas iriam sair pelo mundo voando e em cada lugar chuvoso elas estariam com as sete cores para formar o Arco da Íris. Hoje todo mundo conhece o arco-íris.

domingo, 24 de maio de 2009

Dia da Sofia

Como ontem saí apenas com a Ana Luiza hoje seria o dia de fazer um programa com a Sofia. Ela queria ir ao teatro ver "Saltimbancos" pela enésima vez. A peça é ótima, vale muito a pena, mas eu estava arrasada de gripe. Bateu aquela culpa. Expliquei a situação para a Sofia que entendeu direitinho (ô coisinha fofa da mãe).
Como íamos ficar em casa resolvemos continuar construindo o nosso prédio de caixas de papelão.

Tinha feito um desses com a Ana Luiza quando ela tinha 4 anos (a mesma idade da Sofia).



Está sendo ótimo, são alguns dias montando o prédio, outro pintando.




Hoje colocamos os balanços na varanda (feitos de caixinha de fósforo e barbante). Depois de pronto serão muitos dias brincando. Nos divertimos juntas e ela não sentiu falta do teatro que ficou para a próxima semana.

Brincadeira com caixa de sapato

Uma atividade divertida e duradoura. Além do mais ninguém aguenta acompanhar o poder aquisitivo da Barbie. É loft, casa de praia, casa de campo, castelos, barcos, carros e etc.. Com esse prédio a Sofia brincou por mais tempo do que com as casas da Barbie compradas. Eu, além de economizar uma graninha ainda incentivo o consumo consciente.

Brinquedos de reciclagem

O Show da vida delas

Levei a Ana Luiza ao show do Jonas Brothers na Apoteose.

Show do Jonas Brothers no Rio de Janeiro


Sabe aquela sensação de "o meu bebê cresceu"? Foi exatamente isso. Ela lá gritando, dançando, pulando e cantando todas as músicas. Em determinado momento me deu uma saudade da Bia Bedran, Palavra Cantada e etc. Isso ficou no passado. E pensei que daqui a pouco posso estar sentindo saudade do Jonas Brothers, então resolvi aproveitar e curtir o show.

Se bem que passei mais tempo observando (babando) a Ana Luiza e as amigas do que o Jonas Brothers em si. Foi muito bom ver a felicidade das meninas e poder estar próxima nesse momento que para elas foi o mais feliz de suas vidas.


Show do Jonas Brothers na Praça da Apoteose



Você pode me encontrar também

terça-feira, 19 de maio de 2009

Sampa

Quando eu tinha 10 anos a minha mãe nos levou a São Paulo para visitar o nosso avô e foi uma viagem inesquecível. Fomos ao Simba Safári, ao Zoológico, ao Playcenter que era um superparque na época e fomos também ao circo Tihany.




Agora quem está com 10 anos é a Ana Luiza e eu as levei a São Paulo onde fizemos um roteiro bem similar ao de 32 anos atrás. Fomos ao Simba Safári que agora se chama Zoo Safári, mas a emoção de passear pelos animais soltos e alimentá-los ainda é a mesma.




Passeamos pelo Zoológico que é o maior da América Latina, além de ser belíssimo.



O Playcenter, no nosso passeio, foi substituído pelo Hopi-Hari, pois parque de diversão envolve tecnologia e com o passar do tempo resolvi ir no mais moderno. Apesar de muito cheio, aliás, superlotado, nos divertimos muito e saímos de lá exaustas. Eu já havia levado a Ana Luiza no Hopi-Hari quando ela tinha quatro anos e dessa vez levei a Sofia com a mesma idade.






















































O circo Tihany não estava em São Paulo, então demos um pulinho no Parque da Mônica que infelizmente não tem mais aqui no Rio.



Espero ter proporcionado às minhas filhas um passeio tão inesquecível quanto o que a minha mãe nos proporcionou. E torço para que elas tenham a oportunidade de reviver esses momentos com os filhos delas assim como eu pude fazê-lo.

sábado, 9 de maio de 2009

Meu dia

Há 6 anos, a Ana Luiza não II Jardim, cantou Assim Sem Você do Claudinho e Bochecha vestida com uma blusa que ela pintou para mim.



Ontem, uma Sofia no Jardim II, cantou Você do Tim Maia. Foi feita uma alteração na letra da música substituindo o baby por manhê. Sofia estava vestida com uma blusa que ela pintou para mim.






É uma emoção enorme viver tudo isso uma única vez. Poder repetir é sentir em dobro todo esse amor. Uma felicidade inexplicável. Momentos únicos que vão ficar para sempre no meu coração.

    







terça-feira, 5 de maio de 2009

Presentes da Sofia

Para a mamãe.





Para o papai.


segunda-feira, 4 de maio de 2009

De Sofia Para Vó Regi

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Vertigem

Aproveitamos o feriado de 01/05 para um passeio no CCBB, programa que é sempre muito bom. Mas esse foi especial, pois a exposição dos "Gêmeos" estava sensacional.
Começando na rotunda com um boneco-carro.



 


Na primeira sala em que entramos a exposição ocupa três salas, podíamos entrar nas peças e o sucesso ficou por conta da Bioluminescência.



 Ao entrar nessa obra tivemos uma visão infinita de nossa imagem, por conta de dezenas de espelhos e pequenas luzes que cobrem o interior da escultura. Não podia tirar foto, mas como lá dentro eu não seria pega, não resisti apesar de toda a repreensão da Ana Luiza. Ela está certa, sendo educada, e eu como mãe desobedecendo as regras, enfim...







Uma segunda sala com uma série de pinturas superinteressantes. Na terceira sala o grande momento das crianças: a obra "Os Músicos" onde junto com caixas de som com rostos havia também instrumentos musicais pintados com expressões. Sofia e Gustavo tiraram altos acordes na bateria. Ana, Clara e Bia se revezaram na guitarra, baixo, violão e teclado. Pena que eu não pude fotografar. Não sei por que enquanto ficamos nessa sala ela permaneceu praticamente vazia.




Após a exposição, a ideia era ir fazer o passeio de barco da Marinha, pela Baía de Guanabara, mas demos uma na livraria antes. Lá ficamos folheando uns livros, contando histórias e perdemos o horário. A manhã foi e as crianças se divertiram muito, dá até para repetir com o passeio de barco.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Pin It button on image hover
▲ Topo