quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Filme para assistir com filhos adolescentes - Amor.com - Youtubers e Love



Para mães de adolescentes que buscam um programinha para curtir juntos com os filhos que nesta fase insistem em nos deixar de lado, a comédia-romântica Amor.com pode garantir um bom momento sofá-pipoca.





O filme nacional é bem previsível e ao estilo sessão da tarde, mas aborda tema que os adolês se interessam: redes sociais, YouTubers e Love!


Amor.com conta a história de Katrina (Isis Valverde), uma youtuber de moda superfamosa que se apaixona por Fernando (Gil Coelho), nerd que tem um Vlog de Videogames. Enquanto Katrina tem milhões de seguidores e parcerias, Fernando engatinha nas redes com seus vídeos sobre games.


Os dois se conhecem por acaso em um evento de moda. O que um nerd estaria fazendo em um evento de moda? Pagando mico? Pagando mico ou não, Katrina vê em Fernando a salvação para sua vida depois que fotos dela são compartilhas por um ex. Sim, o nerdizinho também é hacker e consegue reverter o vazamento das fotos e garantir que a imagem de Katrina continue intacta. Bastou isso para Katrina olhá-lo com outros olhos e sentir o coração palpitar.


A partir daí os estilos e vida totalmente diferentes começam a se mesclar. O início de uma paixão faz uma blogueira de moda ir a eventos Cosplay, totalmente alternativos, e um nerd marcar presença em festas badaladas. Mas é claro que mesmo com toda paixão esses estilos tão diferentes também colidem.


Com um toque um pouco caricata, mas também bem próximo do real, já que muitos desses Youtubers são caricatos por natureza, o filme mostra como esse mundo virtual é cheio de futilidades, gente maldosa, interesses. Questiona até que ponto devemos ir em busca da imagem e de likes. Nesta parte do filme frases que nossos adolescentes precisam ouvir e incorporar, como “Esqueça a ditadura da imagem.” e “Não deixe que os outros ditem quem você é.” entram nos diálogos.


Um filme leve, divertido e que traz uma linguagem e interesses bem próximos dos adolescentes. Como disse a Cynthia no post “10 pequenas alegrias de já ter filhos na pré-adolescência”, eles se tornam ótimas companhias para cinema ou filminho em casa. Mas já adianto que isso não dura muito tempo e o filme tem que ser do agrado deles. Então fica a dica para aproveitar enquanto ainda dá tempo e que o filme Amor.com está de graça na Netflix.




Você pode me encontrar também

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Sapato Colorido


A pessoa acorda cedo cheia de disposição, ajeita algumas coisas em casa, pinta umas garrafas e vai se arrumar para trabalhar. Congela em frente ao armário. Simplesmente não consegue escolher uma roupa sequer. Fica ali parada sem conseguir pensar. Decide então o sapato que vai usar. Agora é só pegar algo básico já que o sapato é bem colorido. 

Escolhe uma calça preta e uma blusa azul esverdeada (aquela cor que alguns enxergam verde e outros enxergam azul) e sai. Ao se ver no espelho do elevador percebe que a blusa está marcando e é melhor trocar o sutiã. Volta pra casa e faz a troca. Sai novamente. 

Na porta do prédio, uma frutinha cai da árvore, por sorte não atinge o cucuruco da pessoa que já estava meio lesada, mas suja a tal blusa azul esverdeada escolhida com tanta dificuldade e que parecia ser a única que combinava com o sapato cheio de cores. 

A pessoa volta para frente do tal armário, congela por um tempo e finalmente, com dificuldade, consegue escolher outra blusa, dessa vez uma verde azulada que estava pendurada embaixo de outra blusa e por isso esquecida há muito tempo no armário. Coloca a dita cuja. Se olha no espelho e verifica que a peça (a única que combinava com o sapato cheio de cores) está com uma mancha de guardada bem na altura do umbigo. 

Volta mais uma vez pra frente daquele armário e congela. Finalmente, após retornar pela quarta vez, pega uma terceira blusa. Veste e sai sem se olhar no espelho. Entra no elevador de costas para o espelho e assim fica. Sai pela portaria andando de lado para se manter de costas para o espelho. Passa correndo pela tal árvore (até pensou em abrir o guarda-chuva, mas não tinha um na bolsa. E nem pensar em voltar em casa). 

Ufa, passou pelos espelhos sem identificar falhas na única blusa que combina com o sapato cheio de cores. Passou pela árvore sem receber uma frutada nas costas. Dessa vez vai! E foi. 

Ao chegar no trabalho, sente uma coceirinha na cintura e percebe que a terceira blusa, a única que combina com o sapato cheio de cores, está descosturada. 




Aí pensa: "Esse dia vai ser daqueles... Daqueles cheios de histórias, motivos para rir de si mesma.". Porque o único dia que combina com o sapato cheio de cores é um dia divertido e colorido.


Mais uma história contada no Facebook que vem para o blog para ficar guardada.



Você pode me encontrar também

terça-feira, 21 de novembro de 2017

Esta pintura foi um desafio. Gaveteiro especial


Em algumas peças que pinto, eu misturo a técnica de pintura da professora Odila Freire com decoupage. Sabendo disso a minha filha Ana Luiza trouxe alguns guardanapos dos Jardins de Monet para que eu usasse nas minhas pinturas. 

Feliz com o carinho da minha filha e querendo mostrar o valor e significado desses guardanapos para mim, eu esperei para usá-los em uma peça especial.


Gaveteiro de mdf pintado à mão

Como a minha mãe, e a também avó da Ana Luiza, é loucamente apaixonada por Paris, resolvi fazer uma homenagem dupla: usar os guardanapos em um revisteiro para ela.


Com a ajuda da Ana Luiza escolhemos os papéis que utilizaríamos e as cores das partes, como tampo, gavetas e fundo. Estava assim iniciada a pintura especial.



Porém diversos probleminhas aconteceram durante o processo. Primeiro o próprio gaveteiro caiu no chão e descolou uma parte. Não me dei por vencida, usei meus poucos dotes de carpintaria e restaurei a peça.

Depois, ao fazer a decoupage nas laterais e parte traseira, percebi que o guardanapo era extremamente delicado e se rasgava com muita facilidade. Mas tudo bem, sem problemas, basta começar novamente e fazer com mais calma e delicadeza.

E vários outros probleminhas foram surgindo no decorrer da pintura. Os pinos das gavetas sumiram e precisei comprar outros, ao fazer a última camada da pintura do fundo borrei as laterais, etc.


Ao colarmos o guardanapo com o cenário da ponte na tampa percebemos que ele não cabia perfeitamente. Vamos então usar outra estampa? Não, não vamos desistir!

Com a ajuda da professora Odila complementei a pintura do guardanapo. Dá para notar que a faixa próxima à dobradiça está pintada à mão para dar continuidade ao guardanapo? Sério, me senti a Claude Nonet encarnada.


Em determinado momento a Ana Luiza falou: "Mãe, estou achando que este gaveteiro não é para ser. Melhor parar. Está dando um problema atrás do outro".

Sim, estava dando um problema atrás do outro, tivemos que refazer várias partes, mas estava dando prazer, alegria e sensação de superação. Então vamos continuar, vamos concluir a peça e presentear a minha mãe, avó da Ana Luiza.  

Seguimos em frente com a pintura. Já finalizando, passando o verniz para proteger a pintura, a Ana Luiza sem querer trocou o pincel. Passou verniz na tampa com o pincel sujo de um rosa bem claro. Ou seja, a tampa ficou toda esbranquiçada!



Pintura destruída?! Todo trabalho jogado fora?! Não! Nada disso! Em pintura tudo tem jeito. 

Passei um pano úmido para retirar ao máximo o verniz esbranquiçado e retoquei toda a tampa novamente. Ufa! Finalmente a pintura especial ficou pronta!



Agradeço imensamente não ter desistido mesmo com todos os problemas que surgiram. Ter persistido e encarado as dificuldades com tranquilidade só tornou esta pintura mais especial. 

Mais do que uma atividade de lazer, esta pintura foi um desafio. E desafios nos fazem mais fortes e confiantes. 


Outros gaveteiros que pintei:



Você pode me encontrar também

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Show "24K Magic" do Bruno Mars na Apoteose


Eu conheci o Bruno Mars, músico pop americano, através da Ana Luiza e sempre gostei do estilo variado dele com influências, incluindo o pop, rock, reggae, rhytm and blues, soul, e hip hop. 

Quando ele esteve no Brasil em 2012, eu não consegui ir com a Ana Luiza e ficou aquela sensação de "puxa vida, perdi".

Mas, dessa vez, assim que o músico havaiano anunciou que a turnê mundial do show "24K Magic" passaria pelo Rio, a Sofia me avisou que queria ir. Apesar do show ser na Apoteose, não perdi tempo e providenciei as entradas.

E neste sábado de um final de semana de feriado chegou finalmente o dia de tirarmos os ingressos da gaveta e irmos conferir o que cantor e sua banda iriam nos mostrar.

Partimos para a Praça da Apoteose com as expectativas lá no alto. Seria o primeiro show da Sofia neste local.

Assim que nos direcionamos para a entrada fizemos uma pausa para a foto clássica.


Eu me lembrei imediatamente de quando levei a Ana Luiza para o seu primeiro show na Apoteose, que no caso foi do Jonas Brothers.

Ser mãe de duas é isso, reviver com a segunda filha momentos já vividos com a primeira. Dose dupla de emoções e recordações.



Bom, voltando ao show do Bruno Mars, a abertura foi do DNCE, uma banda de Pop rock norte-americana que tem justamente o Joe Jonas, ex Jonas Brothers, como vocalista. Joe Jonas lembrou que a última vez que esteve na Apoteose foi com os irmãos, no show do Jonas Brothers. O mesmo que eu fui com a Ana Luiza.

A princípio eu nem estava interessada no show de abertura, estava pensando em me poupar para o show principal. Mas sabe como é, quem tá na chuva é para se molhar. E eu me contagiei com a empolgação das meninas e aproveitei.


A chuva que caiu foi fina e mesmo que fosse um toró daqueles não seria capaz de esfriar o calor do show que estava por vir. 

Mesmo com as expectativas altas, o Bruno Mars e sua banda conseguiram superar com músicas dançantes, sincronia nas coreografias e um aparato cênico digno de estrela pop.



Luzes, efeitos especiais e fogos de artifício (que me deram alguns sustos) eram vistos no palco enquanto Bruno Mars cantava, tocava guitarra, dançava e interagia com a plateia. A banda também fazia de tudo um pouco, dançava, tocava e fazia o backing vocal.



Foi aquele show com um pouco de Michael Jackson e muito de Eath, Wind and Fire. Um show para as filhas que curtem o astro pop e para a mãe que já curtiu muitos bailes de charme. 

Um show que valeu muito a pena. Valeu para ver a filha e a amiga felizes e vibrantes. Valeu pelo espetáculo em si. Valeu inclusive pelos perrengues de todo e qualquer show na Apoteose.

Sim, na Apoteose sempre tem perrengues!
A saída é sempre tensa:
- apenas uma hora de metrô disponível após o show não é suficiente para escoar o público.
- os ambulantes vendendo seus produtinhos na saída tumultuam e atrapalham muito e não deixam o fluxo de pessoas fluir.
- o trânsito fica horrível.
- taxista carioca não aprende nem com a concorrência do UBER. Querem escolher corrida e cobrar fora do taxímetro. Ou seja, não foram opção.

Apesar do metrô ser a melhor opção, não tivemos tempo suficiente para chegar nele. Quem salvou a volta pra casa foi o UBER.

Não podia levar mochila! Como você vai a um show com crianças e previsão de chuva sem levar capas de chuva, um biscoitinho, celular, dinheiro, documentos, etc.?
Pois é, as mochilas tinha que ser deixadas no guarda-volumes por R$ 20,00.
Meio absurdo. Deixei a mochila vazia e eles me deram um saco plástico para eu colocar tudo o que estava dentro da mochila. Ou seja, entrei com o mesmo volume em outro formato, gastei grana desnecessária e perdi tempo na saída para pegar de volta a mochila vazia.
E ainda queriam que eu entrasse sozinha na área de guarda-volumes e deixasse as duas crianças sozinhas do lado de fora. Vai entender essa (des)organização?!

Mas esses aborrecimentos se tornaram pequenos diante da grandiosidade do show "24k Magic", da alegria das filhas e do momento nostalgia me lembrando de quando estive na Apoteose pela primeira vez como mãe.


Você pode me encontrar também

domingo, 19 de novembro de 2017

4 saladas de frutas refrescantes

Chega o verão, o calor louco desse Rio de Janeiro, e a vontade de comer frutas aumenta por aqui. Tem dias de calor que eu só tenho vontade de comer uma fruta gelada, suculenta e refrescante, mais nada. Juro, dispenso até brigadeiro!

Não, pensando melhor, brigadeiro eu não dispenso nunca, mas até penso em colocar uma uva ou um morango dentro.

A semana passou quente, abafada e eu fiz algumas saladas de frutas que ficaram bem gostosas.
Faço as escolhas das frutas para a salada pensando nas texturas, nos sabores que combinam, contrastam e se complementam e penso nas cores também.

Vou deixar aqui as combinações refrescantes, coloridas, cheirosas e saborosas desta semana.

Salada de frutas com manga, abacate, morango e coco fresco ralado.


Salada de frutas com abacate

Salada de fruta com melancia, uva Vitória, coco ralado e lascas de coco, amêndoas em lascas e folhas de hortelã.


Salada com frutas que combinam com canela levou melão, maçã, tangerina, lascas de amêndoas, folhas de hortelã e canela em pó polvilhada por cima. 

 Salada de frutas com melão, maçã, tangerina, lascas de amêndoas, folhas de hortelã e canela em pó polvilhada por cima.

Salada de frutas com inspiração natalina teve morango, uva verde, tâmara e lichia. A carambola foi só para enfeitar.

Salada de frutas com morango, uva verde, tâmara e lichia.



Você pode me encontrar também
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Pin It button on image hover
▲ Topo